Linha Atendimento Enfermagem COVID-19

segunda-feira, 24 janeiro 2022 15:24

A 17 de Março de 2020, precisamente na semana em que o Hospital de Santa Maria internou os seus primeiros doentes com Covid 19, as enfermeiras Sara Santos e Sandra Ferreira iniciaram o Atendimento Enfermagem COVID-19 do Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte (CHULN), um serviço de telenfermagem inovador que apoiou milhares de doentes e familiares durante a pandemia. Só num ano, entre Abril de 2020 e Abril de 2021, esta equipa do CHULN realizou mais de 26 mil chamadas com intervenções individualizadas de apoio-educação à pessoa ou cuidador sobre a sua situação de saúde. Este projeto do CHULN foi mesmo um dos finalistas do Prémio Boas Práticas em Saúde, da APDH - Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Hospitalar.

O processo de conceção do Atendimento de enfermagem Covid-19 começou com a fase de pesquisa e desenvolvimento de conhecimentos sobre a infeção pelo SARS-CoV-2 e identificadas as medidas de intervenção educativa do enfermeiro. Foi contruída uma base de dados, com colaboração de um engenheiro informático, onde constam o resultado do teste dos utentes e a intervenção do enfermeiro no contacto telefónico, em articulação com os registos do Serviço de Urgência. “Foi preocupação da equipa de enfermagem em cada contacto telefónico sensibilizar e promover a capacitação da pessoa/família ou cuidador, de forma a minimizar o risco de transmissão de SARS-CoV-2 e o impacto da doença, adaptando as suas atividades de vida diária de forma a minimizar o risco de transmissão e o impacto da doença”, lembram as enfermeiras responsáveis pelo serviço num documento que relata a atividade da linha.

Com a evolução da pandemia em Portugal, houve necessidade de aumentar a equipa para cinco elementos, que se articularam de modo a que todos os utentes fossem informados do resultado dos testes realizados e apoiados nos seus isolamentos, nunca olhando a esforços e a horas de trabalho. “Muitas vezes, os utentes mais sozinhos pediam apenas que ligássemos no dia seguinte para falar um pouco. E nós ligávamos sempre”, recordam as enfermeiras Sara Santos e Sandra Ferreira.

O serviço contou com as orientações e a supervisão da Direção de Enfermagem, de um médico infeciologista e de um técnico administrativo e ainda continua a funcionar. Sandra Ferreira - na Consulta de Cirurgia Plástica - e Sara Santos - no Bloco de Cirurgia de Ambulatório de Urologia e MCDT’s -, já regressaram aos seus serviços de origem, mas as duas enfermeiras sublinham o sentimento de dever cumprido, que fez a diferença para muitas das famílias contactadas. “Evidencia-se o agradecimento de muitos utentes, manifestando uma palavra de agrado. Os utentes com resultados positivos demonstraram sentir-se apoiados e acompanhados”. Porque dar apoio psicológico, saber aconselhar, criar um ambiente terapêutico através da educação para a saúde são competências profissionais essenciais na telenfermagem. E as equipas do CHULN estão à altura dessas exigências.